Organize seu orçamento doméstico!

Confira oito dicas que vão ajudar você a manter as contas em dia e ainda poupar dinheiro!
por Ana Carolina Pinto

 Fonte msn mulher

 



Comprar a prazo ou pagar à vista?

2/8
Comprar a prazo ou pagar à vista? "A melhor opção é comprar à vista, sem sombras de dúvidas. Comprando à vista é possível ditar as regras da negociação (exigir descontos) porque não haverá inadimplência. Não é preciso ter vergonha de pedir descontos, o que vale é valorizar cada centavo do salário. Sempre deverá o consumidor planejar (saber o que realmente é preciso comprar e de extrema necessidade), pesquisar (verificar a melhor oferta porque as diferenças entre fornecedores diferentes podem chegar a patamares de até 56%); pechinchar (negociar bem o desconto porque o pagamento é à vista, com certeza o desconto será alcançado. Não ganhou desconto, procure outro estabelecimento que lhe agrade o bolso e suas necessidades de economizar); e pagar à vista. Essa é a chamada regra dos 4 P’s, que transmito em minhas palestras, entre outras dicas importantes. Se você planejar, pesquisar, pechinchar e pagar à vista, obtêm-se a melhor qualidade de vida. Agora, quando o assunto é pagar a prazo, cuidado! Não caia no “conto do vigário”. Não existe milagres na economia, isso deveria ser mais bem explicado aos consumidores. Imaginemos irmos ao banco e fazermos um empréstimo de R$1 mil, daqui 10 meses, voltamos ao banco com o mesmo valor pego emprestado R$1 mil. Será que ele aceitaria? Óbvio que não. Por isso, o consumidor deve optar pelo pagamento à vista, fugindo ao máximo de pagar juros que se encontram embutidos (dentro) do valor do produto e no seu preço final".
Crédito: Dreamstime


  • O que é mais econômico: compras de supermercado mensais ou semanais? 

"Tudo dependerá do orçamento doméstico. O que é válido é planejar as finanças, saber o que tem que comprar para a real sobrevivência. De preferência as compras devem ser feitas nas famosas “ofertas” e para isso o consumidor precisa pesquisar vários supermercados. Comprando os itens em oferta, o bolso e a saúde financeira ficarão controláveis. Mas lembre-se, devem ir às compras com o planejamento feito e não cair nas tentações, senão o esforço não valerá a pena", explica Boriola.
  • Comprar a prazo ou pagar à vista?

"A melhor opção é comprar à vista, sem sombras de dúvidas. Comprando à vista é possível ditar as regras da negociação (exigir descontos) porque não haverá inadimplência. Não é preciso ter vergonha de pedir descontos, o que vale é valorizar cada centavo do salário. Sempre deverá o consumidor planejar (saber o que realmente é preciso comprar e de extrema necessidade),  pesquisar (verificar a melhor oferta porque as diferenças entre fornecedores diferentes podem chegar a patamares de até 56%); pechinchar (negociar bem o desconto porque o pagamento é à vista, com certeza o desconto será alcançado. Não ganhou desconto, procure outro estabelecimento que lhe agrade o bolso e suas necessidades de economizar); e pagar à vista. Essa é a chamada regra dos 4 P’s, que transmito em minhas palestras, entre outras dicas importantes. Se você planejar, pesquisar, pechinchar e pagar à vista, obtêm-se a melhor qualidade de vida. Agora, quando o assunto é pagar a prazo, cuidado! Não caia no “conto do vigário”. Não existe milagres na economia, isso deveria ser mais bem explicado aos consumidores. Imaginemos irmos ao banco e fazermos um empréstimo de R$1 mil, daqui 10 meses, voltamos ao banco com o mesmo valor pego emprestado R$1 mil. Será que ele aceitaria? Óbvio que não. Por isso, o consumidor deve optar pelo pagamento à vista, fugindo ao máximo de pagar juros que se encontram embutidos (dentro) do valor do produto e no seu preço final".
  • Vale a pena colocar as contas da casa no débito automático?

"Claro que sim, assim evita-se pagá-las em atraso devido ao esquecimento. São tantas coisas nos dias de hoje que muitas pessoas acabam esquecendo-se de honrar o compromisso. Pagar em atraso gera multa de 2%, em regra geral, mais os juros diários pelo atraso até o dia do pagamento. Utilizando a técnica da regra do sucesso financeiro – 4 P’s, com certeza, todos os compromissos ficarão em dia", indica o consultor financeiro.
  • Vale a pena ter vários cartões de crédito, ou mesmo de lojas de departamento?

"Tudo é válido, desde que o seu uso seja de forma consciente. Afinal, ter crédito é o muito bom, porém, tudo deve ser dosado e de acordo com a capacidade econômica de cada um. Importante ressaltar que o cartão de crédito só deve ser utilizado se a pessoa tem tudo planejado e pague a fatura na data do seu vencimento. Atrasou, complicou. É preciso cuidados especiais nas compras parceladas no Cartão de Crédito. Após, somadas, vem o susto ao abrir à fatura com todos os itens relacionados. Muitos consumidores percebem que caíram na “armadilha do crédito fácil” ficando com o orçamento comprometido a longo prazo", alerta Boriola.
  • Quanto de nosso orçamento deve ser investido em habitação (financiamento de imóveis ou aluguel)?

"Geralmente é aconselhável não gastar mais do que 20% da somatória de renda familiar em financiamento ou aluguel. Caso seja comprometido acima desse percentual, poderá ocorrer comprometimento no orçamento. Quanto maior a renda, melhor conforto as pessoas desejam ter, é lógico, acabam pagando muito mais por isso. Estudar e analisar cada caso, é importante", ensina o especialista.
  • Ainda faltam alguns dias para o salário chegar. É melhor tirar dinheiro da poupança ou pegar no cheque especial?

"O melhor é tirar da poupança e cobrir o cheque especial. O melhor mesmo é não pagar juros e sim receber dividendos. Assim será possível sair do cheque especial e não pelas altas taxas de juros que hoje são cobradas".
  • Como controlar os gastos dos filhos e quando vale a pena dar mesada?

"O controle de gastos com os filhos é variável e de acordo com a necessidade de cada um. O melhor é fazer reuniões semanais nos primeiros dois meses, isso é uma forma de conscientizá-los e fazer com que os filhos participem desde cedo do planejamento financeiro. Todos contribuirão para melhoraria da mesada mensal. Importante também dizer
  • Ainda vale a pena fazer poupança para os filhos? Qual a melhor alternativa?

"Tendo condições sim, tudo é válido. Mas já existem filhos que pegam parte da mesada e aplicam na poupança, pensando no futuro financeiro e suas garantias para independência. Se planejar e ter tal possibilidade, vale a pena investir no futuro financeiro aos filhos".
<>

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...